CUSTO EFETIVO TOTAL

o que é, como funciona, para que serve

O que é e como funciona?

O CET, ou Custo Efetivo Total, refere-se ao total de encargos a serem pagos pelo cliente em uma operação de empréstimo ou financiamento.
É expresso em forma de percentual anual e inclui as taxas de juros, tributos, tarifas, gravames, IOF, registros, seguros e demais despesas do contrato. Foi instituído pelo Conselho Monetário Nacional, pela Resolução 3.517 de 6 de Dezembro de 2007 e desde março de 2008 tornou-se obrigatório.

Todas as instituições financeiras devem informar qual é o CET na efetivação de um contrato de empréstimo ou financiamento e também sempre que solicitado pelo cliente. Além dessas situações, deve estar presente em informes publicitários e peças de marketing que divulguem as taxas que a instituição utiliza.

Para que serve e qual a sua importância?

O principal objetivo do CET é conferir maior transparência às operações de crédito, informando ao consumidor todos os custos que incidem na operação antes deste contratá-la. Além de conhecer o custo real, o CET possibilita a análise e comparação entre diferentes empresas ou operações de crédito. Assim, o cliente adquire o poder de uma decisão mais detalhada e acertada, que atenda de fato as suas necessidades.

Comparar as taxas de juros é suficiente?

Mesmo que um banco cobre uma taxa de juros igual à de outro e em um mesmo prazo de pagamento, o CET pode variar. Isso porque as tarifas, tributos e outros custos diferem-se de acordo com a política de cada instituição. Deste modo, é importante ficar atento: nem sempre uma taxa de juros mais baixa representa o melhor negócio. Na dúvida, pergunte qual é o CET e compare.