8 dicas para lidar com o desconforto emocional em períodos de isolamento

desconforto emocional em período de isolamento
Share on facebook
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Momentos delicados como o que estamos vivendo, em que é necessário o isolamento e evitar o contato com os outros, podem acarretar um mal-estar psicológico dentro de nós, um desconforto emocional intenso. Afinal de contas, somos seres sociais, e ficar longe do convívio com amigos e familiares pode gerar um incômodo e impactar o nosso sistema imunológico.

8 dicas essenciais de como minimizar esses efeitos negativos. Confira.

1. Evite o excesso de informações desnecessárias.

A hiperinformação, especialmente com o grande número de informações falsas ou exageradas compartilhadas nas redes sociais, gera angústia e ansiedade e prejudica o relaxamento e a capacidade de discernimento. Por isso, procure informar-se nos noticiários apenas uma vez no dia (por exemplo, pela manhã) e filtre conteúdos que possam alterar seu estado de humor.

2. Evite pensamentos vitimistas.

Ficar isolado não é uma punição, mas uma preservação e contribuição para o bem comum. Lembre-se de que esta é uma condição temporária e que, em breve, tudo voltará ao normal.

3. Evite solidão como percepção de abandono.

É importante aproveitas a tecnologia disponível hoje em dia para manter-se conectado com sua família e amigos, seja por mensagens, ligações ou videochamadas. Não permita que a solidão se transforme em tristeza e excesso, potencializando traços depressivos inerentes a cada pessoa. Faça-se presente, mesmo à distância!

4. Evite pessimismo como padrão de pensamento.

Somos capazes de pensar diferente para aliviar as dores produzidas pelo momento atual. Não permita que o pessimismo gere amargura, que pode ferir aqueles que estão à nossa volta.

5. Evite não fazer nada.

O ócio deve ser criativo, para não se transformar em desânimo e letargia existencial. Por isso,  mantenha-se ativo e produtivo, mesmo estando em casa. Faça exercícios físicos, realize atividades manuais, jogue com os familiares, leia bons livros – enfim, preencha seu tempo para aliviar desconfortos.

6. Evite uma agenda sem compromissos.

Mesmo em casa, é importante estabelecer uma rotina diária. Organize seu tempo, incluindo os períodos voltados para a sua atividade profissional. Respeite os intervalos para almoço, pausas para café e término do expediente. E não abra mão do tempo livre (para ler e interagir com as pessoas que ama).

7. Evite viver uma perspectiva meramente individualista.

Muitas pessoas estão ficando em casa com outras pessoas do núcleo familiar. Nesse contexto, a individualidade é importante, mas não se deve ignorar a dimensão coletiva. Exerça a empatia e preze pelo bom convívio, com colaboração e apoio mútuo, para que a vida seja agradável nesse período.

8. Evite invisibilizar as “minorias”.

Dê atenção às crianças e idosos que estiverem com você nesse período. Converse, escute, compreenda e seja solidário. É necessário combater a tendência a deixá-los “de lado” (o que pode fazer com que sintam um fardo numa época tão delicada).

Não desanime! É possível superar esse momento com consciência, inteligência e empatia.

(fontes: Marcos Wagner, psicanalista / Karoline Paiva, psicóloga).

Compartilhe com seus amigos!

Share on facebook
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Posts relacionados

Leia Também

Deixe um comentário

Cookie consentimento

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação, veja a nossa: Política de privacidade.

Abrir chat
Precisa de ajuda?