Pular para o conteúdo

Como sair das dívidas em 7 passos

Como sair das dívidas passo a passo

Como sair das dívidas? Quando há falta de planejamento, os gastos podem ultrapassar o seu orçamento e, dessa forma, gerar o endividamento. No momento em que você começa a contrair novas dívidas para pagar as antigas, certamente é porque entrou no círculo vicioso do endividamento. Neste caso, é necessário desenvolver um plano estratégico para sair dessa situação.

Conheça os seus gastos

Antes de começar o seu planejamento para quitar as suas dívidas, entenda os seus gastos. Eles podem ser divididos em gastos fixos, que são aqueles como o aluguel, as prestações do carro, a escola dos filhos. Essas despesas vão continuar existindo, por isso coloque-as como prioridade.

Nos gastos variáveis vão estar as contas mensais passíveis de redução, como, por exemplo, a água, o gás e a luz. Lembre-se que com um pouco de dedicação é possível economizar estes gastos. Por fim, os gastos supérfluos que são os mais fáceis, ou menos difíceis, de se evitar. Aqui também entram as compras por impulso. Para evitá-las, o conselho é: reflita se você QUER ou se você PRECISA gastar.

Como quitar as dívidas?

No começo, é importante entender que será necessário mudar o seu padrão de vida, e controlar as suas despesas durante este momento. Os gastos supérfluos são as primeiras despesas a serem cortadas em caso de dificuldade financeira, como, por exemplo, a assinatura de TV a cabo. Quitar os seus débitos muitas vezes parece tarefa difícil, mas seguindo o passo a passo que apresentamos, será mais fácil concluir os seus objetivos.

Como sair das dívidas? Veja o passo a passo:

1º PASSO:

Faça um orçamento de emergência. Calcule o valor mensal que você precisa para sustentar a sua família (gastos de subsistência), eliminando todas as outras despesas.

2º PASSO:

Organize suas dívidas. Classifique-as de acordo com a relevância. As dívidas que possuem maiores taxas de juros são as mais críticas e devem ser as primeiras a serem eliminadas.

3º PASSO:

Contate os seus credores o quanto antes, mostrando interesse por saldar seus compromissos. Para as dívidas do cartão e cheque especial, peça uma atualização do valor devido e solicite uma proposta para a quitação imediata. Se não for possível pagar este valor à vista, você também pode trocar essas dívidas por um crédito pessoal mais barato. As tarifas da Finamax são bem menores do que as taxas de cheque especial.

4º PASSO:

Para outros financiamentos, contate seus credores e tente alongar o prazo dos seus pagamentos, de modo que as parcelas caibam com folga no orçamento de emergência da família.

5º PASSO:

Caso você tenha um automóvel em condições de ser refinanciado, é uma boa opção para substituir suas dívidas. Esta alternativa de crédito pessoal é uma das mais baratas existentes no mercado.

6º PASSO:

Conheça o tempo que irá levar para quitar as suas dívidas. Pegue o valor da sua receita mensal, todos os seus ganhos, e subtraia o seu orçamento mensal de emergência: este é o valor que você tem disponível por mês para pagar suas dívidas.

Agora divida o valor total das suas dívidas pelo valor que você possui para pagar as suas prestações mensais. Este é o tempo médio que precisará para quitar todas as suas dívidas, a não ser que levante algum dinheiro à vista, vendendo algum bem, por exemplo.

Utilize esse prazo para balizar as suas negociações com o banco, e também para planejar o que irá fazer depois de pagar as dívidas.

7º E ÚLTIMO PASSO:

Quando as dívidas forem quitadas, comemore! Uma viagem, um jantar, presentes, tudo isso pode ajudar a família a repensar as atitudes. Só não vale se endividar novamente, não repita o mesmo erro.

Lembre-se que o plano para você sair das dívidas se baseia em três princípios: cortar gastos, substituir dívidas e disciplina. Manter a calma e o equilíbrio também te ajudará nesse período, pois a situação é temporária. Quando quitar suas dívidas, faça uma reserva de emergência.

Economize!

Quando você quitar as dívidas, aproveite o momento para começar a guardar dinheiro através de um investimento, essa decisão contribuirá com suas finanças e garantirá um futuro a você e sua família. Para ter o mínimo de segurança financeira, é aconselhável que você tenha seis vezes o valor dos seus gastos mensais reservados.

É importante ressaltar que existem diferenças entre os hábitos de economizar, poupar e investir. Cada um tem uma função que te ajudará a manter o orçamento mensal sem problemas. Entenda a diferença entre eles:

Economizar: Significa gastar menos com algum item do seu orçamento. Assim, você economiza quando compara preços antes de comprar, gasta menos energia, água e telefone em sua casa, ou deixa de fazer alguma compra por impulso.

Poupar: Algumas vezes você economiza em uma coisa, mas acaba gastando demais em outra. Com isso, não consegue poupar! O ato de gastar menos do que ganha resulta em formação de poupança, o que permite que você consiga aumentar o seu patrimônio.

Investir: É através do investimento que a decisão de economizar e poupar lhe trará resultados no futuro. Todo investimento é recompensado por um rendimento. Isso irá multiplicar o seu dinheiro, e garantirá um futuro promissor a você e sua família.

E na hora de fazer o seu dinheiro render, conheça a LC Finamax, o investimento ideal para quem quer começar a guardar dinheiro para um futuro tranquilo.

Veja Também:

Compartilhe com seus amigos!

Posts relacionados

Leia Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Cookie consentimento

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação, veja a nossa: Política de privacidade.

Precisa de ajuda?